Faz sentido limitar visitas e recebimento de animais no zoológico de São Paulo?

26/02/2019 21:22

 

 

 

Uma proposta apresentada à Câmara Municipal pode inviabilizar o funcionamento do zoológico de São Paulo. A intenção do vereador que apresentou o projeto é proteger os animais —- sempre uma boa intenção —, porém dependendo das restrições impostas, a instituição corre o risco de se tornar insustentável, causando prejuízos, inclusive, para o atendimento dos demais animas que já estão sob a responsabilidade do zoológico de São Paulo.

 

A reportagem que você lê a seguir, é do jornalista Sérgio Quintella, da Veja São Paulo. 

 

Faz sentido a ideia do vereador?

 

Leia a reportagem e não esqueça de avisar ao seu vereador o que você pensa sobre o assunto.

 

Vereador quer proibir novos zoológicos e aquários em São Paulo

 

Projeto de Reginaldo Tripoli (PV) prevê que espaços existentes sejam impedidos de receber animais

 

Por Sérgio Quintella

access_time

26 fev 2019, 15h33

 

O vereador Reginaldo Tripoli (PV) protocolou na Câmara Municipal um projeto de lei que prevê a proibição de novos zoológicos e aquários na cidade. Além disso, nos dois espaços existentes hoje (ambos na Zona Sul), o parlamentar quer restringir o recebimento de animais capturados na natureza e adotar medidas para eliminar de forma progressiva a exposição dos bichos. “Não queremos o fechamento do Zoológico de São Paulo, que apesar do formato obsoleto de exposição, presta um serviço de apoio ao receber animais resgatados impossibilitados de soltura”, afirma o vereador. “Buscamos uma transição para um novo modelo com mais tecnologia, instrumentos de educação ambiental mais eficientes e, principalmente, sem sofrimento para os animais. Não faz sentido animais exóticos viverem em climas completamente diferentes de seu habitat natural “, afirma o vereador.

 

Além disso, Tripoli quer que as visitas aos locais sejam feitas apenas com a presença de monitores, para minimizar o estresse dos bichos expostos. “Os locais deverão adotar providências no sentido de colocar avisos alertando aos frequentadores de que os animais são seres capazes de sentir e vivenciar emoções e que não devem ser expostos a ruídos excessivos e agressões de qualquer tipo”, diz o texto do projeto.

 

Outra medida proposta pelo parlamentar é que os espaços atuais devem permanecer fechados por pelo menos dois dias na semana, para permitir um maior descanso aos animais. Após o protocolo, o texto segue para a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara antes de seguir para o plenário. Após as duas votações previstas, a matéria, caso aprovada, segue para sanção ou veto do prefeito Bruno Covas (PSDB).